Cabeçalho de impressão

Brasil

1934 - Criado o Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM pelo Ministério da Agricultura na gestão de Juarez Távora (08/03/1934) url
- Criação da Universidade de São Paulo e início no Departamento de Física da Faculdade de Fislosofia, Ciências e Letras, do grupo de pesquisa formado por Gleb Wataghin, Marcello Damy, Mario Schenberg, Paulus Aulus Pompéia, entre outros. Os estudos concentraram-se em radiação cósmica, radioatividade e problemas de física teórica url
1940 - Cooperação para a prospecção de minerais radioativos entre o Brasil e os EUA
1942 - Fundação da empresa Orquima com a denominação Organo-Química
1944 - Joaquim Costa Ribeiro descobre, no Rio de Janeiro, um fenômeno físico que consistia na produção de cargas elétricas associadas a mudanças de estado físico de dielétricos em que uma das fases é sólida. A esse fenômeno denominou de efeito-termodielétrico, também conhecido como efeito Costa Ribeiro
1945 - 1º Acordo atômico relativo à venda de nossos minerais físseis aos EUA (secreto) - minerais radioativos (10/07/1945)
- Na Conferência Pan-Americana de Chapultepec, Mexico, os Estados Unidos propõem um acordo de exportação da monazita brasileira (Acordo de 1945) formalizado em 10 de julho do mesmo ano
1946 - Criada a Comissão de Energia Atômica da Organização das Nações Unidas com Álvaro Alberto representando o Brasil (24/01/46)
- A empresa Orquima começa a industrialização das areias monazíticas
- O Almirante Alvaro Alberto, representante do Brasil na Comissão de Energia Atômica do Conselho de Segurança da ONU, propõe ao governo, através da Academia Brasileira de Ciências, a criação de um Conselho Nacional de Pesquisas.
- Marcello Damy, inicia em São Paulo a instalação do acelerador Bétraton e envia alguns de seus assistentes, Oscar Sala, Paulo de Tacques Bittencourt e José Goldemberg para iniciarem pesquisas nas reações fotonucleares, nos EUA e no Canadá.
1947 - Criação da Comissão de Estudos e Fiscalização dos Minerais Estratégicos integrada por Bernardino de Mattos, Othon Leonardos, Costa Ribeiro e Damy Santos, ampliada com a colaboração de DNPM, para o controle das exportações de minerais radioativos
1948 - Fundação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - SBPC, em maio url
1949 - Fundação do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas - CBPF, a 15 de janeiro, por um grupo de cientistas brasileiros, entre outros, César Lattes, José Leite Lopes e Jayme Tiomno. As principais linhas de pesquisa eram raios cósmicos e partículas elementares.
- A Orquima – usina de processamento de areias monazíticas é comprada pelo governo.
1951 - O Congresso Nacional, através da Lei 1310, aprova a criação do Conselho Nacional de Pesquisas e estabelece o monopólio estatal do comércio externo de minérios atômicos além de fixar restrições à venda. O CNPq assumiu a formulação das políticas de ciência e tecnologia no país e a coordenação dessas atividades. url
1952 - Criação do Instituto de Pesquisas Radioativas - IPR (22/08/1952), na Universidade de Minas Gerais, primeira instituição brasileira dedicada inteiramente à energia nuclear para a prospecção de minérios radioativos, estudo da física nuclear, metalurgia e materiais de interesse para o setor.
- 2º Acordo atômico Brasil/EUA – fornecimento de terras raras (22/05/52)
- Criação da Comissão de Exportação de Materiais Estratégicos - CEME, no Ministério das Relações Exteriores (21/02/1952), com a finalidade de controlar todas as atividades referentes ao aproveitamento da energia nuclear, função antes exercida pelo CNPq url
1953 - Contrato entre o Brasil (CNPq) e a França (CEA) para a produção de sais de urânio metálico nuclearmente puro (19/11/1953); envio da equipe brasileira comandada por Alexandre Girotto
1954 - 3º Acordo atômico (trigo x tório) Brasil/EUA ( 20/08/54)
- Compra de três ultra-centrífugas na República Federal da Alemanha
- Inaugurado o Departamento de Industrialização da Monazita pela Orquima – Indústrias Reunidas
- Acordo de 1954 ou Acordo do Trigo que estabelecia a troca de 5.000 toneladas de monazita e da mesma quantidade de sais de cério e terras raras do Brasil por 100.000 toneladas de trigo americano
- Equipe de Oscar Sala opera na USP um acelerador eletrostático tipo Van de Graff
- Criação do 1º Curso de Introdução à Energia Nuclear, na Escola Nacional de Engenharia, da Universidade do Brasil
1955 - 4º Acordo atômico (trigo x tório) EUA/Brasil (16/11/55)
- Criação da Comissão de Energia Atômica do CNPq (27/01/55 na 244a seção) com o objetivo de propor medidas necessárias à utilização da energia atômica, controlar as atividades referentes a energia nuclear, elaborar instruções para o aproveitamento da energia nuclear e opinar sobre a exportação de urânio e tório
- Assinado o acordo entre EUA e Brasil de Cooperação para os Usos Civis da Energia Nuclear (03/08/55 – 02/08/60)
- Assinado o Programa Conjunto de Cooperação para o Reconhecimento dos Recursos de Urânio no Brasil – entre o Brasil/EUA
1956 - Juscelino Kubitschek aprova as Diretrizes Governamentais para a Política Nacional de Energia Nuclear (30/08/56)
- Juscelino Kubitschek cria a Comissão Especial para o Estudo da Energia Atômica no Brasil ( 24/04/56)
- Criação do IEA - Instituto de Energia Atômica, nos moldes do convênio firmado entre o CNPq e a USP (11/01/56), para desenvolver a pesquisa de energia atômica com a instalação de um reator de pesquisa do programa Átomos para Paz url
- Criação da CNEN (10/10/56), com a finalidade de propor medidas necessárias para a orientação política da energia atômica em todos os seus aspectos url
- Extinção da Comissão de Exportação de Minerais Estratégicos - CEME, com a criação da CNEN
- Nomeada Comissão Parlamentar de Inquérito sobre o problema da energia atômica (Resolução da Câmara dos Deputados nº 49, de 10/02/56). Pdf
1957 - Assinado o contrato de arrendamento de material nuclear em Washington (26/06/57)
- Assinado, pelo Brasil, o acordo Átomos para Paz (31/07/57)
- Criação de Furnas Centrais Elétricas (28/02/57) para construir e operar a primeira grande usina hidrelétrica url
- Início da operação do Reator Nuclear de Pesquisas IEA-R1, o primeiro do hemisfério sul, no Instituto de Energia Atômica - IEA.
- Criação do 1º Curso de Pós-graduação em Engenharia Nuclear, na Escola Nacional de Engenharia, da Universidade do Brasil
- Criação do curso de Pós-graduação em Engenharia Nuclear, na Escola de Engenharia, da Universidade Federal de Minas Gerais
1958 - Emenda do Acordo de Cooperação de 03/08/55 relativo a cooperação aos usos civis da energia atômica (09/07/58)
- Acordo de cooperação entre o Brasil e a Itália para a cooperação pacífica da energia atômica (06/09/58) url
1959 - Criada a Superintendência do Projeto Mambucaba para coordenar e executar todas as medidas econômicas, administrativas e financeiras relativas à implantação de centrais nucleares url
1960 - Criação do Laboratório de Dosimetria – convênio CNEN/PUC (03/06/59) com a finalidade de atuar na área de radioproteção, na metrologia das radiações ionizantes, na fiscalização das condições de uso e fontes radioativas seja na indústria, medicina e centrais nucleares
- Criação do Ministério das Minas e Energia – MME, em 22/07/1960 url
- A CNEN passa à jurisdição do Ministério das Minas e Energia url
- Fim da cooperação conjunta para o reconhecimento dos recursos de urânio no Brasil, entre o Brasi e EUA
- Inauguração do Reator de pesquisa TRIGA (Training Research Isotope General Atomic) Mark 1, no IPR
- A CNEN adquire a Orquima S/A.
1961 - Acordo para a cooperação de reconhecimento de materiais férteis entre o Brasil e a França
- Acordo de cooperação entre o Brasil e a Comunidade Européia de Energia Nuclear (09/06/61) url
- Acordo de cooperação entre o Brasil e o Paraguai para os usos pacíficos da energia nuclear (18/08/61) url
- Criação da Eletrobrás para promover estudos e projetos de construção e operação de usinas geradoras de energia elétrica url
1962 - Acordo CEA (França)/CNPq para prospecção em Poços de Caldas
- Criação do Instituto de Engenharia Nuclear (IEN), em maio. Convênio CNEN/Universidade do Brasil, atual UFRJ, com a finalidade de abrigar e operar o reator de pesquisa Argonauta
- Definição da Política Nacional de Energia Nuclear. Por lei federal a CNEN é instituída como Autarquia Federal (27/08/1962) url
- Criação na CNEN do Grupo de Trabalho do Reator de Potência (24/04/62) com o objetivo de construir um reator a gás grafita e urânio natural
- Acordo de cooperação entre o Brasil e os EUA para o uso civil da energia nuclear (28/05/62)
- Emenda do acordo de cooperação de 03/08/55 entre o Brasil e EUA (08/05/62)
- Acordo de cooperação entre o Brasil e a República Francesa para o uso pacífico da energia nuclear (02/05/62) url
1963 - O Instituto de Energia Atômica - IEA e o Instituto de Engenharia Nuclear - IEN são incorporados à CNEN url
- A CNEN adquire a firma SULBA S/A – Sociedade Comércio de Minérios Ltda, subsidiária da Orquima
- A CNEN adquire a firma INAREMO – Industrias Nacionais de Refinação de Monazita Ltda, subsidiária da MIBRA
1964 - Criação da Companhia de Materiais Nucleares do Brasil (COMANBRA). Subsidiária da CNEN para lavra, beneficiamento, refino, tratamento químico e comércio de minerais nucleares (18/03/64); url
- Divulgação do relatório do grupo de Trabalho do Reator de Potência que propunha a construção de uma central nuclear brasileira à base de urânio natural e a criação de uma subsidiária da Eletrobrás para administrar a usina
- Colaboração IPR/França na questão da tecnologia de reatores, térmica, ciclo do combustível e tecnologia nuclear
- Colaboração entre IPR e CEA - Commissariat a l´Energie Atomique no projeto de fabricação da montagem subcrítica CAPITU
- Emenda do acordo de cooperação de 03/08/55 para os usos civis da energia atômica 01/09/64
- Acordo básico de assistência técnica entre o Brasil, a ONU e outros organismos internacionais (29/12/64) url
1965 - A CNEN, através de convênio com a UFMG, incorpora as atividades do IPR - Instituto de Pesquisas Radioativas no Plano Nacional de Energia Nuclear url
- Criação do Grupo do Tório na Universidade Federal de Minas Gerais/Instituto de Pesquisas Radioativas com o objetivo de formar recursos humanos na área de reatores. Três projetos foram desenvolvidos: Projeto Instinto (urânio enriquecido e tório 1966-1967); Projeto Toruna (urânio natural e água pesada 1968-1971); Projeto Pluto (plutônio tório 1971-1973)
- Acordo entre o Brasil e Portugal para os usos pacíficos da energia nuclear (18/06/65); url
- Acordo de cooperação entre o Brasil e os EUA para os usos pacíficos da energia nuclear (08/07/65) url
- Acordo entre o Brasil e a Confederação da Suíça para a utilização pacífica da energia nuclear (26/05/65) url
- Entrada em operação do reator Argonauta, no IEN
1966 - Fim da cooperação para a prospecção de minerais entre o Brasil e França
- Criação do Centro de Energia Nuclear para Agricultura (CENA) de Piracicaba/USP com a finalidade de estudar os benefícios da energia nuclear na agricultura
- Acordo de cooperação entre o Brasil e o Peru para os usos pacíficos da energia nuclear
- Acordo de Cooperação entre o Brasil e a República da Bolívia (11/01/66) url
1967 - Assinatura do Tratado para a Proscrição das Armas Nucleares na América Latina - Tratado de Tlatelolco. url
- Criação do Grupo de Trabalho Especial no Ministério de Minas e Energia formado por engenheiros da CNEN, Eletrobrás e Furnas para a construção da primeira usina nuclear url
- Cooperação ente os EUA e Brasil para os usos civis da energia atômica. url
- Acordo de Aplicação de Salvaguardas entre o Brasil e os EUA e a AIEA (10/03/67) url
- Lançamento de Número Especial da Revista Brasileira de Política Internacional sobre a Política Nuclear Brasileira.
1968 - O Brasil, entre outros países, não assina o Tratado sobre a Não-Proliferação de Armas Nucleares, vindo, no entanto, a fazê-lo trinta anos depois.
- Criado o Grupo Lane de abril-junho de 1968 tendo como finalidade estudar possíveis reatores, analisar a viabilidade econômica da construção de centrais nucleares, examinar a participação da indústria nacional na construção das centrais
- Relatório final do Grupo de Trabalho Especial para construção da 1ª central nuclear, que não indicava o tipo de reator mais adequado ao país, apenas indicava que a unidade deveria ter 500 MW até 2005 – convênio CNEN/Eletrobrás (26/04/68)
- Acordo de Cooperação referente aos usos civis da Energia Atômica para o projeto, construção e operação de reatores de potência e pesquisa, troca de informações relativas ao desenvolvimento pacífico da Energia Nuclear entre o Brasil e o EUA
- Acordo de Cooperação entre o Brasil e a Índia para a utilização pacífica da energia nuclear (18/12/68)
- Acordo de Cooperação entre o Brasil e a Espanha para a utilização da energia atômica (27/05/68) url
- Constituição de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para avaliar os recursos existentes em matéria de minérios de interesse para o desenvolvimento da energia nuclear (07/02/68) url
1969 - Criação da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais – CPRM, vinculada ao Ministério de Minas e Energia, tendo como objetivo gerar conhecimento geológico e hidrográfico para o Brasil url
- Assinado o acordo de cooperação científica e tecnológica entre o Brasil e a República Federal da Alemanha url
1970 - O Instituto de Energia Atômica tornou-se autarquia estadual desvinculando-se da CNEN url
- Término da cooperação IPR – França
- Acordo entre o Brasil e o Equador para a Utilização Pacífica da Energia Nuclear (11/06/70) url
1971 - Criação da Companhia Brasileira de Tecnologia Nuclear (CBTN) com a finalidade de realizar pesquisa e lavra de jazidas de minérios nucleares, promover o desenvolvimento da tecnologia nuclear para o tratamento de minérios e produção de combustível, além de instalar usina de enriquecimento de urânio e componentes para reatores (01/12/1971) url
1972 - Início da construção de Angra I
- Acordo Brasil/EUA para o fornecimento de urânio enriquecido em troca de urânio natural brasileiro com aplicação de salvaguarda (17/07/72)
- Convênio entre o Brasil e a República Federal da Alemanha para a entrada de navios nucleares em águas brasileiras e sua permanência em portos brasileiros (07/06/72) url
- O Laboratório de Dosimetria, o IPR - Instituto de Pesquisas Radioativas e o IEN - Instituto de Engenharia Nuclear passam a estar vinculados à CBTN - Companhia Brasileira de Tecnologia Nuclear url
- O Laboratório de Dosimetria passa a ser denominado Instituto de Radioproteção e Dosimetria (IRD)
1973 - Acordo CNEN/CBTN e o Ministério de Pesquisa da Alemanha
- O Grupo do Tório é dissolvido com a escolha de comprar a tecnologia da primeira central nuclear
1974 - A Companhia Brasileira de Tecnologia Nuclear passa a ser denominada NUCLEBRAS, com o objetivo de executar o programa nuclear brasileiro em cooperação com a República Federal da Alemanha (16/12/74) url
- O Instituto de Engenharia Nuclear (IEN) e o Instituto de Pesquisas Radioativas (IPR) passam a estar vinculados à Nuclebrás
- Assinatura do Protocolo de Brasília (03/06/74)
- O Conselho Nacional de Pesquisa (CNP) passa a ser denominado Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) url
- Os EUA anunciam que não poderão cumprir o acordo de fornecimento de combustível com o Brasil
- Acordo CEA (França)/CBTN para a transferência de conhecimentos quanto à operação de reatores
1975 - Criação da NUCLEN – Nuclebrás Engenharia S.A. (16/12/1975) url
- Criação da NUCLEP – Nuclebrás Equipamentos Pesados (16/12/1975) url
- Criação da NUCLAM – Nuclebrás Auxiliar de Mineração (16/12/1975) url
- Acordo Nuclear Brasil – RFA assinado no âmbito do acordo de 1969, para a transferência de tecnologia no enriquecimento do combustível, construção de centrais nucleares, construção de equipamentos e prospecção de minerais radioativos Pdf
- Criação da NUCLEMON – Nuclebrás pesquisa de tório de areias monazíticas (16/12/1975)
- Criação da NUSTEP – Nuclebrás – STEAG para o desenvolvimento do jato centrífugo(16/12/1975)
- Angra III - decreto federal nº 75.870 autoriza sua construção e operação por Furnas. (Decreto revogado em 10/julho/1991). url
- Acordo Nuclebrás – STEAG para o enriquecimento, segundo a tecnologia do processo Nozzle (03/12/75)
- Criação da NUCLEI - Nuclebrás Enriquecimento Isotópico S.A. url
1976 - Angra II – início das obras
- A MIBRA é transferida para a NUCLEMON
- Criação do Programa de Recursos Humanos para o Setor Nuclear, o PRONUCLEAR, pelo MEC, CNPq, Nuclebrás e CNEN url
1977 - O Instituto de Pesquisas Radioativas - IPR passa a ser denominado Centro de Desenvolvimento de Tecnologia Nuclear - CDTN
- Publicação do Livro Branco sobre a Política Nuclear Brasileira Pdf
- Promulgado o Ato que estabelece a reserva de minérios nucleares (Decreto nº 80.266, de 31/08/77) url
- Promulgada a Lei que define a responsabilidade civil por danos nucleares e responsabilidade criminal por atos relacionados com atividades nucleares (Lei 6453, de 17/10/1977 url
1978 - CPI instalada no Senado Federal para investigar o Programa Nuclear Brasileiro (Res. 69/1978) url
1979 - O Instituto de Radioproteção e Dosimetria (IRD) e o Instituto de Engenharia Nuclear (IEN) retornam à CNEN url
- Início do Programa Nuclear Paralelo conhecido também como o Programa Nuclear Autônomo que visava o desenvolvimento da tecnologia de propulsão nuclear para submarino, enriquecimento e reprocessamento do combustível para a produção de artefato nuclear – Projeto Solimões
- O Instituto de Energia Atômica- IEA passa a ser denominado Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares - IPEN (16/03/79) e vincula-se à Secretária da Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia do Governo do Estado de São Paulo url
- Criação do Instituto Brasileiro de Qualidade Nuclear - IBQN
1980 - Convênio IPEN/Marinha para o desenvolvimento da tecnologia de propulsão nuclear para submarino
- Criação da NUCON – Nuclebrás Construtora de Centrais Nucleares S.A. (23/10/80) url
- Acordo Brasil/Iraque para utilização da energia nuclear (16/01/80) url
- Acordo entre o Brasil e a Argentina para o desenvolvimento e a aplicação dos usos pacíficos da energia nuclear (17/05/80) url
- Instituído o Sistema de Proteção ao Programa Nuclear Brasileiro – SIPRON (Decreto nº 1809, de 07/10/80) url
1981 - Acordo entre o Brasil e a Colômbia para os usos pacífico da energia atômica (12/03/81) url
- Acordo entre o Brasil e o Peru para os usos pacíficos da energia atômica (26/06/81)
1982 - Primeira reação em cadeia de Angra I
- Convênio entre o governo do Estado de São Paulo e a CNEN que reintegra as atividades do IPEN no Programa Nacional de Energia Nuclear
- Inauguração da Fábrica de Elementos Combustíveis (FEC)
- Inauguração do Complexo Industrial de Poços de Caldas
- Subordinação ao controle do Estado de todas as pesquisas nucleares
1983 - Acordo de cooperação entre o Brasil e a Venezuela para os usos civis da energia nuclear (30/11/83) url
- Acordo entre o Brasil e a Espanha para os usos pacíficos da energia nuclear (12/05/83) url
- Divulgação dos trabalhos da CPI do Senado sobre o Acordo Nuclear
1984 - Desativação da NUCON – Nuclebrás Construtora de Centrais Nucleares (07/11/84) url
- Acordo entre o Brasil e a República Popular da China para os usos pacíficos da energia nuclear (11/10/84) url
1985 - Angra I entra em operação comercial
- Criação da Comissão de Avaliação do Programa Nuclear Brasileiro - CAPNB para examinar a questão nuclear sugerindo medidas a serem adotadas pelo governo (Decreto nº 91.606 de 02/09/85) url
1986 - Relatório final da Comissão de Avaliação do Programa Nuclear Brasileiro, recomendando: manter o programa nuclear brasileiro, equilibrar seu ritmo, promover entendimentos com a Argentina, manter relação de cooperação sobre os usos pacíficos da energia nuclear com a República Federal da Alemanha e apoiar a pesquisa em desenvolvimento Pdf
1987 - Deputados alemães fazem pedido para o cancelamento do acordo Brasil/Alemanha
- Ocorre o acidente de Goiânia
- É anunciado, pelo Presidente da República José Sarney, o domínio do enriquecimento do urânio, alcançado pelos pesquisadores envolvidos no Programa Nuclear Paralelo
1988 - O Centro de Desenvolvimento de Tecnologia Nuclear - CDTN retorna à CNEN
- A NUCLEBRÁS passa a denominar-se Indústrias Nucleares do Brasil S.A. (INB), vinculada à CNEN, com a responsabilidade de atuar na área de extração, tratamento e processamento industrial do urânio url
- Dissolução da NUCLEI e da NUCLAM (31/08/88) url
- Criação da subsidiária Urânio do Brasil (31/08/88) url
- Inclusão da NUCLEP e NUCLEMON no plano de privatização (31/08/88) url
- Integração do Programa Nuclear Paralelo ao Programa Nacional de Energia Nuclear (31/08/88)
- Inauguração do Centro Experimental de Aramar (08/04/88)
- Criação do Conselho Superior de Política Nuclear para assessorar o Presidente na política nuclear url
- Promulgada a Constituição de 1988 que proíbe a fabricação de armas nucleares url
- O controle de Angra 1 e do canteiro de obras de Angra 2 e 3 é transferido para Furnas Centrais Elétricas, subsidiária da Eletrobrás
1989 - NUCLEN e NUCLEP – transferência de ações para a Eletrobrás e CNEN url
- Os alemães fazem novo pedido para o cancelamento do acordo Brasil/Alemanha
1990 - O Ministério das Minas e Energia é extinto e cria-se o Ministério da Infra-Estrutura (12/04/90) url
- Criação do Grupo de Trabalho sob a coordenação da Secretaria de Assuntos Estratégicos para estudar as medidas necessárias sobre a política nuclear com relatório final em 05/1990, com uma série de recomendações (27/03/90) url
- Fechada, pelo Presidente Collor, a área de testes atômicos da Serra do Cachimbo, no Pará
- Criação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito destinada a investigar o Programa Nuclear Autônomo url
1991 - Criação da Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares – ABACC (18/07/1991) url
- Acordo para o uso exclusivamente pacífico da energia nuclear entre o Brasil, a Argentina e a AIEA – Acordo Quadripartite (20/08/91)
1992 - O Departamento Nacional de Produção Mineral passa a ser incorporado pelo Ministério das Minas e Energia url
- Acordo entre o Brasil e a Argentina e a Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (ABACC) – 27/03/92
1994 - As subsidiárias da Nuclebrás, NUCLEI e NUCLEMON são incorporados à INB url
- Acordo de Cooperação entre a Brasil e a Rússia para os usos pacíficos da energia nuclear (15/09/94) url
1996 - Criação do Centro Regional de Ciências Nucleares no Nordeste (CRCN) – instituto da CNEN voltado para a radiologia, medicina nuclear e radioterapia
- Acordo de Cooperação entre o Brasil e o Canadá para os usos civis da energia nuclear (22/05/96) url
1997 - Criação da Eletronuclear - proveniente da fusão da área nuclear de Furnas com a NUCLEN url
- Acordo de Cooperação entre o Brasil e os EUA sobre os usos pacíficos da energia nuclear (14/10/97) url
1998 - Acordo Regional de Cooperação para a Promoção da Ciência e Tecnologia Nucleares na América Latina e no Caribe – ARCAL (25/09/98) url
- O Brasil assina o TNP - Tratado sobre a Não-Proliferação de Armas Nucleares url
2000 - Início da operação de Angra II
2001 - Acordo de Cooperação entre o Brasil e a República da Coréia para os Usos Civis da Energia Atômica (18/01/2001) url
2002 - Acordo de Cooperação entre o Brasil e a República Francesa para a Utilização Pacífica da Energia Nuclear (25/10/2002) url
2006 - Sérgio Resende, ministro do MCT, inaugura o 1º Módulo de cascata de centrífugas para enriquecimento de urânio em escala industrial
- A Emenda Constitucional nº 49/2006 excluiu do monopólio da União a produção, a comercialização e a utilização de radioisótopos de meia-vida curta, para usos médicos, agrícolas e industriais. url
2010 - É concedida à ELETRONUCLEAR, através da Resolução CNEN/CD nº 77, de 25 de maio de 2010, a Licença de Construção para a Unidade 3 da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto - CNAAA- 3. Pdf

Fale Conosco | Mapa do Sítio | Retornar ao Topo | ©2007 Comissão Nacional de Energia Nuclear
Biblioteca Digital Memória da CNEN